Incêndios florestais: a prevenção depende de todos!

Panfleto incêndio

O tempo seco dos últimos dias fez crescer o número de queimadas no Município de Santa Maria de Jetibá. Em época de clima seco, o cidadão precisa redobrar a atenção, uma simples fagulha pode provocar um acidente grave.

Diante do aumento no número de queimadas, cresce também os prejuízos que ela causa, entre os vários impactos imediatos das queimadas, três são os mais evidentes:

1°. Perdas de biodiversidade: tanto a vegetação quanto os animais sofrem com a destruição;

2°. Perdas de qualidade do solo: a terra fica menos fértil e gradualmente mais frágil;

3°. Problemas de saúde: a tendência é aumentarem os casos de doenças respiratórias nas cidades próximas às queimadas.

Além disso, a queimada sem licença do órgão ambiental é tida como incêndio criminoso e é punida pela Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) com pena de um a quatro anos de reclusão.

Portanto, não seja você o causador de um incêndio que trará inúmeros prejuízos à coletividade, siga as dicas e ajude a melhorar o ambiente em que convive:

  • Ao fazer uma fogueira, limpe a área ao redor e lembre-se de apagar o fogo antes de deixar o local. Dessa forma, pode-se evitar a ocorrência de incêndio florestal. Adotar medidas preventivas é zelar pela própria segurança.
  • Queimar o lixo é praticar infração ambiental, além disso, pode provocar incêndios. Aproveite os resíduos orgânicos para fazer compostagem, principalmente as folhas e os galhos secos. Faça uma cova e deposite-os, contribuindo assim para enriquecer o solo.
  • Seja responsável, dê destinação correta aos resíduos que você produz. A natureza não é cesta de lixo.
  • Evite jogar bitucas de cigarro no chão.
  • Evite acender velas próximo à vegetação, se o fizer, tenha o cuidado de limpar a área a ser utilizada para prevenir incêndios.
  • Capine a área perto de sua casa.
  • Próximo às estradas, casas e plantações o ideal é providenciar um aceiro (Limpeza de terrenos em volta de propriedades e matas, para impedir propagação de incêndios) nas proximidades, de modo a evitar, em caso de incêndio, que este se alastre.
  • Caro agricultor! No caso do uso do fogo para fins agropastoris, esteja ciente das implicações legais referentes à queimada controlada: é necessário solicitar autorização ao órgão ambiental (IDAF), estudar as características do terreno, fazer aceiros, observar as condições climáticas, instruir e capacitar as pessoas que vão realizar a queimada controlada. Tomar todas as precauções para evitar a ocorrência de incêndio florestal.